19/05/2021
Plantação em consórcio: Sorgo e Brachiaria conheça seus benefícios
O plantio integrado tem beneficiado muito as atividades rurais, oferecendo um instrumento essencial para a agricultura. Esta plantação em consórcio com sorgo e brachiaria permite um cultivo mais promissor e proporcionando aos produtores uma produção de grãos e forragem promissora. A técnica permite proporcionar não só o solo, mas os animais e as plantas.

Entretanto, como realmente realizar o consórcio do sorgo com brachiaria e de que forma os manuseios exigem atenção maior para garantir bons resultados para a sua produção rural? Acompanhe nos próximos tópicos deste artigo todos os benefícios deste método de plantação e como ele pode auxiliar a boa produtividade da sua agricultura.  


Modificação na fazenda. Por que escolher pelo sorgo no consórcio?

Para a recuperação de pastagens degradadas em diversas regiões do Brasil, a integração lavoura-pecuária (ILP) tem se tornado um alvo estratégico para a produção de produtos de diversos agricultores. O sorgo é uma opção de baixo custo e rico em nutrientes e antioxidantes. Com isso, os produtores conseguem ter ganhos recíprocos e conquistam os aspectos ambientais da melhor forma. 

Ao utilizar o consórcio, o sorgo é composto por algumas características morfológicas e fisiológicas. O cereal além de ser nutritivo também para os seres humanos por proporcionar fibras, proteínas e vitaminas. Os animais também podem aderir ao uso deste cereal, contribuindo não só para a sua alimentação, no consórcio, ele oferece:

●    Altura máxima da vegetação altera entre 2 m a 3 m;
●    Íntegro à seca e flexível à geada;
●    Adaptação em solos de média fertilidade e arisco;
●    Produtividade média de 3 a 8 t/ha/ano MS;
●    Etapa vegetativa de 100 dias;
●    É adaptável em estações quentes.
●    Vulnerável a fotoperíodo: dia curto.


Planejamento de manuseio para uso do consórcio de sorgo com forrageiras tropicais

O sorgo se tornou uma excelente escolha para a produção de grãos e forragem em qualquer situação, principalmente com déficit hídrico e cultivo de baixa fertilidade. Embora seja muito lucrativo ao agronegócio, o consórcio de sorgo com forrageiras tropicais impõe ao agricultor aprendizados específicos sobre os principais manuseios adotados para este consórcio, como, por exemplo:  


Espaçamento de plantio

Neste caso, tudo vai depender  dos produtos que já são utilizados, mas normalmente, utiliza-se 0,5 m neste consórcio de sorgo com forrageiras. Locais com espaçamento menor que 0,40 m de sorgo, o recomendável é usar a terceira caixa para a plantação simultânea ou uma semeadora fixada à frente do trator. 

Se forem espaços maiores, o produtor pode constantemente, acrescentar forrageira nas entrelinhas do sorgo. Nas áreas onde a cultivação é realizada de forma manual ou automatizada, a semeadora pode ser feita utilizando essas atividades, pois auxilia na incorporação das sementes.  


Taxa de semeadura

Ao realizar o consórcio de sorgo com forrageiras tropicais, a taxa de semeadura dessas forrageiras pode variar de acordo com a espécie, o manuseio delas e a época de consorciamento, visto que este planejamento intervém diretamente na produção, o que inclui também a qualidade e quantidade da forragem. Segundo Gontijo Neto el a. (2006), eles recomendam:

●    3,0 a 3,5 kg/ha de sementes puras viáveis (SPV) para semeadura no sulco.
●    4,2 a 6,0 kg/ha de SPV para semeadura a lanço.

Na utilização da pastagem com período maior que a agricultura, é recomendável taxas de semeadura gradativas para as forrageiras contínuas. Isso favorece a permanência e conservação da pastagem. Na colheita de grãos, é indicado a plantação no período de 30 dias após a emergência das plântulas de sorgo, reduzindo as adversidades de concorrência.


Controle de daninhas

O controle pode ser realizado com herbicidas composto de atrazine em caso de pós-emergência no momento em que as plantas apresentarem de duas a quatro folhas. Porém, deve-se atentar quanto à aplicação, pois os produtos podem afetar as forrageiras. O controle prévio das invasoras também recebe atenção, para diminuir a assolação no consórcio de sorgo. 

Ao ter controle sob o cultivo, essa prática pode trazer benefícios, por sua vez, a densidade de semeadura do sorgo aumenta, gerando crescimento para a semeadura de outras forrageiras também. De modo geral, o consórcio de sorgo com brachiaria, a concorrência com a forrageira não diminui respectivamente na produção do cultivo. 

A brachiaria, por exemplo, reduz a infestação de plantas daninhas, pois ela auxilia no aumento da produtividade desse cultivo, pois pode estar relacionado devido não aplicar herbicida em pós-emergência, o que contribui na redução de efeitos fitotóxicos plausíveis. Embora em algumas situações haja diminuição de produção, pensando economicamente, é compensada pela economia por não aplicar o herbicida.

A plantação em consórcio ao utilizar sorgo e brachiaria com forrageiras tropicais é uma atividade cada vez mais aplicada em sistemas de ILP. Essa atividade permite que o cultivo se torne viável na produção de grãos, contribui na fertilidade do solo, oferecendo ao produtor resultados positivos em sua produtividade, proporcionando crescimento no pasto, além da alimentação animal quando houver estação seca.

Com uma ampla variedade de grãos, a Semente Santa Fé é uma referência no mercado, especialmente em razão da qualidade dos produtos. Por isso, entre em contato conosco e confira nosso catálogo de sementes para realizar um ótimo investimento!