02/06/2021
Manejo do solo para altas produtividades
O campo agrícola quando bem cuidado, traz benefícios para o agricultor que depende deste meio para produzir seu cultivo e oferecer um produto saudável e de qualidade para o consumidor. Embora muito se pense que, para produzir um alimento basta apenas plantar, isso não está ao alcance de uma produtividade de alta escala. Afinal, para isso é preciso investir em um bom manejo do solo.

Pensando nisso, neste post vamos explicar exatamente como sua propriedade pode aumentar a produção na agricultura familiar, a partir de um solo fértil.              Acompanhe!


O que é o manejo do solo?

Quando falamos em manejo de solo, estamos nos referindo ao tratamento que é dado à terra para ter um excelente cultivo, ou seja, periodicamente, aplica-se alguns cuidados ao longo da safra para garantir uma boa estrutura física e, assim, obter um resultado no nível elevado de matérias orgânicas.

Entretanto, para ter um solo saudável, não será da noite para o dia, pois requer anos de tratamento. Tudo se inicia pelo diagnóstico das circunstâncias químicas, físicas e biológicas dos mesmos.

Ademais, é muito importante também conhecer o solo que será responsável pelo seu cultivo, bem como suas qualidades e suas deficiências. Afinal, um solo fraco pode não trazer benefícios para a safra, provocando baixa produtividade — além de gerar prejuízo ao próprio agricultor.


Como o manejo do solo assegura altas produtividades?

Quando bem tratado, as oportunidades de alta produtividade do seu cultivo serão positivas, desde que passe a conhecer o solo e ofereça cuidados necessários para ter uma boa área de cultura. A alta produtividade se relaciona entre os seguintes fatores:

•    Manejo;
•    Condições climáticas;
•    Solo;
•    Planta.

O manejo do solo favorece esses elementos e contribui na diminuição do impacto que gera seca, por exemplo. Para a fertilidade da terra, algumas características são compostas do pH do solo, contudo, dependem das células do mesmo.

Apesar disso, é importante saber como cuidar da forma correta do solo, pois algumas características e modificações também podem trazer problemas, comprometendo assim os bons resultados.


Como oferecer um tratamento adequado?

Após ter conhecimento do solo em que se vai trabalhar, outro passo que deve ser dado é investir em técnicas de correção das deficiências, sobretudo aquelas apresentadas durante o estudo do solo.

Você pode iniciar pela correção da acidez do solo, por exemplo, ou pelo desagrupamento e pela estruturação de curvas niveladas para reprimir o excesso de água da chuva — o que evita a erosão. Se o solo for pobre em nutrientes, então será necessário a utilização de fertilizantes para o seu fortalecimento. Assim, será possível ter uma produção mais efetiva e saudável.

Quando o solo está bem manejado, geralmente máquinas pesadas não circulam pela lavoura se estiver úmido, pois fica tende a ficar mais denso. Nesse sentido, não circulam devido à vertente do campo, pois abre sulcos que estimulam a erosão.


Quando o manejo do solo se torna inadequado?

Tudo em exagero pode acabar mal e com o manejo inadequado do solo não é diferente. O uso constante de inseticida, fertilizantes, fungicidas, herbicidas, pode causar desequilíbrio do solo, gerando um importante processo de degradação.

Nesse caso, é fundamental utilizar produtos com responsabilidade sem que altere as características principais do terreno para que continue fértil e proporcione alta produtividade ao cultivo.

Estudos indicam que um manejo conservacionista, com cobertura de terreno, ajuda a umidade e ciclagem de vitaminas, gerando aumento na fertilidade do solo. Assim, quando se tem total conhecimento da sua produção, medidas cabíveis podem ser tomadas para auxiliar na saúde do solo.


Quais passos necessários para o planejamento do manejo do solo?

Alguns passos são fundamentais para conseguir proporcionar uma excelente manutenção do solo e isso não depende só do produtor, mas sim de uma análise técnica, por exemplo, de um responsável que pode auxiliá-lo caso haja dúvidas em relação ao que oferecer ao terreno.

Dentre as principais características para um bom planejamento, estão:


Planejar o uso de fertilizantes

Nem todo fertilizante é apropriado para qualquer tipo de cultura, pois vai depender do nutriente que está precisando, logo, deve-se oferecer o que realmente está em falta para o solo.


Conhecer seu tipo de solo

Uma análise química do solo é fundamental para obter resultados significativos, justamente para saber qual fertilizante ou outros produtos químicos se pode usar no solo. Além disso, caso utilize adubos orgânicos, também é importante realizar uma análise para saber o quanto deve ser aplicado em nutrientes ou mesmo se deve ser feito a complementação de fertilizantes naturais.


Fazer uma adubação adequada

Exagerar na adubação mais do que o solo precisa pode não trazer bons resultados, por isso, adube somente o necessário, pois as plantas vão necessitar apenas da quantidade que precisam e em níveis de nutrientes adequados.

Portanto, como vimos, o manejo do solo nem sempre vai proporcionar ao produtor um nível altíssimo de produtividade, mas, para alcançar resultados satisfatórios é primordial ter um bom planejamento do tratamento do seu solo.

Por isso, não deixe de realizar uma análise química e o tipo de solo que pretende trabalhar. Quando planejado e com custos que não sejam excessivos, pode proporcionar melhorias à sua lavoura, gerando benefícios na sua produção.

Gostou deste artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais para que seus amigos produtores também possam ficar por dentro deste assunto!
 

PODEMOS AJUDAR ?

CELULAR

(62) 98147-0044